sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Na noite quente, tomou-a pelas mãos. Tomou-a todos os sentidos.
No breve segundo entregue, pela primeira vez, ela teve fome.
Ela teve fome de coisas simples. Ao lado daquela alma, ela se expande
De calor. De vida. De fome...

Ela tem fome dele-vida.

2 comentários:

Elis disse...

Tenho fome de coisas simples também, e quando isso acontece, quase sempre venho aqui!
Abraços.

sam disse...

"faz de conta que ela é uma princesa azul num crepusculo (...)"

=D dependendo do azul é cor complementar do laranja do poente =) hihihihi