quinta-feira, 13 de setembro de 2007

No final, de novo início...



... Por toda a vida, eu vou.

7 comentários:

sam disse...

morreria assim um belo jardim com flores enormes e bem coloridas como num ataque de alemães na ww2?
Aqles girassóis e jacintos lutariam bravamente por uma permanencia quase eterna de uma canção sem fim. Doces palavras que se vão... triste fim então...

sam disse...

keep rockin...

Elis disse...

Então tá né!
Abraços

Lory L. disse...

Gente! Casa nova, com o mesmo encanto antigo! Vejo-me naquela varanda (à esquerda, em cima), olhando esse mar de palavras que escorregam, docemente, até beijar as pedras (à direita, embaixo).

E enquanto minha cabeça toca de leve as nuvens do canteiro, devo dizer que "...por toda a vida, eu vou" TAMBÉM!

Leva eu? Leva eu? rs

bjs, florzinha!

Lory L. disse...

Ai que legal! Ela mudou o layout e não tem mais varanda, nem nuvem, nem pedrinha lá embaixo.

Mas tinha! Tinha? Será que eu ando tendo alucinações OUTRA VEZ? Humpf...
Sai, duende! Quero chazinho hoje não. rs

Marina Fonseca disse...

Indelicadeza a minha. Peço desculpas... mudei e remudei. Mudei de novo e está um lixo.

O antigo, apagadinho, não cabe mais. O antigo mais novo, do mar, me remete a pensamentos perigosos, aquela varanda, aquele mar... duendes, cogumelos, velhas feras, telefones... Se permitisse que ele continuasse daquela forma seria 'blogsídio', certo. Então, pela terceira vez, mudanças. Tudo branco, laranja e vermelho. Janelas, girassóis, escritos e proteção para dar sorte, espantar essa saudade maluca da Luiza e me fazer Marina - mesmo que por hoje e só.

Ai... nada de final. Nada é tão imutável assim. Mas desculpas, desculpas, desculpas pelas alternâncias. Aff!

Arnaldo Sobrinho disse...

E entre as reticências, o resto?