sábado, 2 de junho de 2007

Das necessidades

Quero palavras. Suplico por mais, muito mais. Mas não de qualquer um, quero as minhas. Quero poder fazer com que elas fluam da tinta para o papel. Quero esforço mínimo, quero leveza. Tirar os pés do chão, colocar a caneta na folha e ir, sem pensar, sem penar. Sorriso leve, dias de sol e frio. Quero cidade histórica. Quero história com começo, meio e fim. Sim! Pode ter fim, tendo começo e meio... De volta a prolixidade, eu quero. Eu preciso das palavras, mais do que das imagens. Preciso das letras, preciso encontrar em lugar perdido, encanto. Eu quero entrega. Quero vida inteira, quero doação extrema. Quero enraizar, crescer, florir. Quero conjugar todos os verbos. Eu preciso! Peças que se encaixem, eu preciso, simplicidade! Eu quero... E, eu preciso tanto, tanto, tanto de mim.

Quero também: James Morrison – Wonderful World

“And I know that it's a wonderful world
But I cant feel it right now,
I thought I was doing well but I just want to cry now,
Well I know that its a wonderful world from the sky down to the sea

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá....
sempre passo por aqui e leio seus textos que são interessantes por sinal. Acho que você deveria colocar uma ou outra foto sua pois você é uma gracinha....

Anônimo disse...

Ow... Anch'io voglio parole!

Se servir, trago-te estas:

Abre a janela, estou no portão, pedindo entrada... outra vez!

Bjs, florzinha!
Sono tornata!

Renato disse...

concordo com o admirador aí de baixo... hehhee
beijos