quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

"Porque tudo na vida começa com um 'sim'.
Uma molécula disse 'sim' pra outra
e a vida nasceu...

Não esquecer que por enquanto é tempo de morangos...
Sim!"

Lispector


Antes que pergunte, ela responde: Sim! É tempo não só de morangos, como dona Lispector diz, mas também tempo de muitas flores. Flores filhas da chuva, que não sabem em qual cabelo irão parar ou se algum dia irão sair do jardim.
Mas o jardim floresceu. Floresceu mesmo com o silêncio, mesmo sem o jardineiro pra aguar. Por vezes a moça quis deixá-las ali, sem água.

E assim devagar veio a chuva...

“Olha.. está chovendo na roseira.
Chuva boa prazenteira

Quem conseguirá impedir que o verde desse jardim apareça? O cinza da cidade poderia tentar, mas são tantas flores, tantas... Se o próprio verde desistisse, ah pequena, seria tarde demais. O certo é que o verde renascido (etimologicamente correto só no latim... resnacido!) e as flores ali vão ficar, enfeitando esse jardim que depois de tanto secar, descobriu no verde serenidade...
Serenidade para esperar a hora certa de colher as flores.

Pensando bem, moça, verde e cinza são cores tão próximas, e as flores são tão lindas.
Para essa vida começar, diga “sim”, porque a moça já decidiu enfeitar seus cabelos...

Um comentário:

Lívia disse...

Por isso q eu digo...

"Oh chuva, eu peço que caia devagar
Só molhe esse povo de alegria
Para nunca mais chorar..."

Que a chuva poss acair nas flores do deste jardim e fazê-lo florir... florir como nunca!