segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Um e-mail e um eterno escreve e apaga para responder uma pergunta simples: “O que te falta para ser menos ‘infeliz’, Luiza?”.
Eu respondo!


O que lhe falta para ser menos infeliz? Drummond diria que, por vezes, pensou que falta fosse ausência, e um dia descobriu que não, e mais, ausência é o que ele carrega sempre. É... Poderia ser, mas no seu caso, não é. Não ligue para o que Drummond diz, por teimosia e pela falta de educação mesmo. Não dê a mínima... Porque essa ausência desmedida, que também tens, não é o que lhe faz infeliz.

(In)feliz. Mera questão de prefixo, parafraseando um certo perfil orkutiano. Eternos ciclos que a cada dia se tornam mais freqüentes. Você morreu no domingo, vagou pelo incerto segunda, terça e quarta. Quinta às 00:01 virou cinza e pó, espalhou-se ao vento e renasceu a mesma, nem melhor, nem pior como de costume. Se sente Deus? Para morrer e renascer assim, ao terceiro dia?! Bem, a questão toda não passa de teimosia. Até que um dia se canse de morrer ou de se matar por coisa qualquer. Mas negar? Renegue a quase tudo ou ao que, realmente, lhe faz falta. Já negaceou tanto, que mais uma vez não faria a menor diferença. Lembre-se da magnitude das palavras com prefixos. Com elas, você tem a liberdade de ser os dois significados... Uma lástima que, agora, não consigo fazer algum neologismo referente à palavra passional. Esta é a uma das únicas palavras que lhe descrevem e que infelizmente não possui prefixos. Oxe! Fique feliz...

Estive pensando nisso: passionalidade. A pergunta não é bem essa, mas se me permite reformular... Seria o tal motivo que lhe deixa infeliz, ser passional? Se for, tenho a solução para seus problemas por apenas uns discos de rock melódico medíocre, um Wellaton preto azulado, correntes, roupas rasgadas e unhas pretas. Procure arrumar um namorado emo! Ele vai te entender, melhor até mesmo do que eu... Sempre que você vier com suas metáforas de jardins, flores, passarinhos e blábláblás, o carinha certamente irá lhe contar das novidades do Good Charlotte ou do Simple Pan. Nessa hora, certamente você pensará: “Como eu sou feliz!”. Infame eu! Desculpe-me, mas não custa sorrir...

Luiza, procure limpar seus espelhos... O que vês está cada vez pior devido à poeira. Dãm. Espelhos são traiçoeiros. Seus sapos, seus castelos, seus príncipes encantados são o que os espelhos lhe mostram: uma imagem reflexa adulterada. Não diga que não sabia, e nem aceite meu conselho de negacear neste caso.

Enfim... Fique bem, tome seu remédio todos os dias, leve sempre blusa de frio para a faculdade e não deixe escapar suas projeções. Elas são verdadeiramente o que lhe faltava para arrancar o prefixo in.

“Do sonho de eterno fica esse gozo acre na boca ou na mente, sei lá, talvez no ar.”

Beijos, moça com a flor empunhada nas mãos.


Bira.

Um comentário:

Anônimo disse...

said plenty of people payment most of the lending products by the due date and also without fees and penalties
A number one credit card debt a good cause expects may be men and women investing in these people regarding allow over payday loan credit card debts for you to dual this. personal debt good cause states that all around used this short-run, large fascination lending products this coming year. That charitable organisation suggests a couple of years in the past numerous shoppers with them was trivial.
aby zobaczyć więcej kliknij ten link
pożyczka gotówkowa ing
kredyt samochodowy
ekspresowa pożyczka prywatna
kredyt chwilówka dla zadłużonych

http://pozyczki-prwatne.com.pl
http://kredytybezbik24.net.pl
http://pozyczki-prwatne.net.pl